Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Apesar de índices positivos de produtividade, delegacia em Juruti tem falta de pessoal e problemas estruturais

Em março, delegacia ficou em segundo lugar no ranking de produtividade segundo levantamento da Polícia Civil; Delegado já chegou a pagar salário a servidor cedido pela prefeitura após atrasos.

 
 -   /
/ /

A delegacia de Juruti, no oeste do Pará, tem se destacado entre as unidades do interior com os melhores índices de produtividade e resolução de crimes. No mês de março, a instituição ficou em segundo lugar no ranking elaborado pela Diretoria de Informática, Manutenção e Estatística da Polícia Civil do Pará.

Conforme o relatório, a delegacia que é responsável também pelos municípios de Faro e Terra Santa, teve 60 procedimentos policiais instaurados e ficou apenas atrás de Parauapebas, com 75, entre autos de apreensão, investigação, Boletins de Ocorrências, entre outros.

Conforme o delegado Raoni Barcellos, a ideia é que as ações sejam intensificadas e operações sejam realizadas durante todo o ano. "O objetivo sempre será atender a população com presteza, a resolutividade dos crimes e agir nos principais pontos que ocasionam o aumento da criminalidade nas cidades", disse.

Entretanto, a delegacia tem operado com dificuldades, principalmente em relação à quantidade de servidores. Segundo o delegado, há déficit de pessoal, tanto da instituição quando cedidos pela prefeitura de Juruti para auxiliar nos serviços administrativos.

No mês de março, mesmo com os índices positivos, a prefeitura cogitou cortar as horas extras dos servidores que trabalham na delegacia e não enviou novos servidores para prestar o apoio nas atividades diárias.

Pagamento de salários

Segundo o delegado, o psicólogo que atende vítimas de crimes sexuais e e violência contra a mulher chegou a ficar com salários atrasados em até três meses. O delegado contou ao G1 que, para o serviço não ser prejudicado, pagou os valores ao profissional com recursos próprios.

Raoni Barcellos disse ainda que, apesar da situação, empresários têm ajudado a delegacia com doações de materiais para pequenas reformas no prédio, assim como computadores doados.

Conforme o delegado, o serviço prestado com os devidos recursos materiais e humanos ocasionará mais eficácia nas atividades.

"Precisamos de pessoas, materiais e apoio; o nosso objetivo será sempre fazer o máximo possível, mas não precisamos atuar com o mínimo, precisamos dos meios adequados e proporcionais para atender a demanda diária do município e, com isso, dar a resposta aos diversos delitos que ocorrem na região", disse. Somente a população de Juruti é quase 60 mil pessoas, mas também há atendimentos em Faro e Terra Santa.

Atualmente, a delegacia conta três investigadores - um está licenciado - e cinco servidores administrativos.

O G1 entrou em contato com a Polícia Civil do Pará e Prefeitura de Juruti sobre os problemas apontados. Até a última atualização desta reportagem somente prefeitura havia respondido, em partes, os questionamentos.

De acordo com a Prefeitura de Juruti, até a presente data, não há qualquer pendência financeira referente aos salários dos servidores do município.

VÍDEOS: Mais vistos do G1 Santarém e Região

200 vídeos Plantão policial: confira as principais ocorrências da delegacia de Santarém Dupla é conduzida à delegacia suspeita de envolvimento em assalto em Santarém Estudantes têm deixado de fazer atividades escolares

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE