Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Doações de sangue no Hemocentro de Vilhena caíram mais de 30% durante a pandemia do novo coronavírus

Estoques de sangue atingiram nível crítico e registram grande demanda pelos tipos sanguíneos O negativo e A negativo

 
O Hemocentro Regional da Fhemeron, em Vilhena, alerta para as doações de sangue no município, que caíram mais de 30%, durante a pandemia do novo coronavírus. A região que abrange o leste rondoniense, abastece seis cidades, como Pimenta Bueno, Primavera de Rondônia e São Felipe d'Oeste. 

Segundo Michely Toledo, coordenadora do Setor de Captação e Doação do hemocentro, a instituição está operando com o estoque reduzido. Ela diz que  todos os tipos sanguíneos são importantes, mas faz apelo para captar mais doadores de sangue das tipagens negativas.

“Nós estamos com os nossos estoques baixos, principalmente dos tipos sanguíneos negativos, que são sangues considerados raros e mais difíceis de manter um estoque de sangue seguro. Nós tivemos uma queda de mais de 30% no comparecimento dos nossos doadores durante a pandemia e isso dificultou muito a quantidade e qualidade dos atendimentos com demanda transfusional”, explicou.

Para contornar a queda nos estoques, o hemocentro aderiu à Campanha Nacional de Doação de Sangue, em conjunto com o Ministério da Saúde. Segundo o ministro da pasta, Marcelo Queiroga, são realizadas três milhões de doações de sangue por ano na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele destaca a importância da doação regular.

“Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa.”

O Hemocentro Regional de Vilhena está localizado no bairro Nova Vilhena, região próxima aos municípios de Chupinguaia, Parecis, Pimenta Bueno, Primavera de Rondônia e São Felipe d'Oeste. O instituto é um dos cinco hemocentros regionais da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron), hemocentro coordenador do estado de Rondônia. Para agendar a sua doação de sangue, envie uma mensagem para o WhatsApp (69) 99240-6211.

Moradores de outras regiões de Rondônia, que desejam doar sangue, podem procurar os hemocentros localizados nos municípios de Ariquemes, Cacoal, Ji-Paraná, Rolim de Moura ou em Porto Velho, capital do estado. 

Para agendar a sua doação de sangue ou realizar o cadastro para doação de medula óssea em qualquer um dos seis hemocentros da Fhemeron, basta enviar uma mensagem para o WhatsApp (69) 9 8464-0125 ou pelo aplicativo “Sangue Amigo”, disponível para iOS e Android.

Solidariedade na pandemia

Mesmo com a pandemia, o analista legislativo Alexandre Bolanho não parou de doar sangue. A história como doador começou aos 18 anos, quando pediu de presente de aniversário a chance de ser um doador de sangue. Hoje, aos 30 anos, Alexandre acredita que doar sangue é mais que uma ajuda. É uma missão.

“Assim que eu completei meus dezoito anos eu já tinha esse objetivo. Meu presente de aniversário foi procurar a Fhemeron e fazer a minha primeira doação de sangue. Desde lá eu não paro. Eu sempre vou feliz com esse pensamento de salvar vidas. A gente pode ver como algo simples, um gesto simples, mas para quem recebe é algo imprescindível porque eles necessitam daquilo. Não há o que temer na doação de sangue. Todo mundo deveria doar e fazer a sua parte”, incentiva Alexandre. 

Onde doar sangue em Rondônia 

Além do Hemocentro Regional de Vilhena, o estado possui hemocentros regionais nos municípios de Ariquemes, Cacoal, Ji-Paraná e Rolim de Moura. Todos fazem parte da Fhemeron, hemocentro coordenador localizado na capital de Rondônia, em Porto Velho.

Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doar sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.


Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, envie uma mensagem para o WhatsApp (69) 99240-6211.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE