Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Quilombolas recebem a segunda dose contra a Covid-19 em Belém

Vacinação acontece no Memorial dos Povos, das 09h às 17h. No Pará, há mais de 500 comunidades com cerca de 250 mil pessoas distribuídas em 50 mil famílias.

 
 -   /
/ /

Belém inicia nesta terça-feira (14) a campanha da segunda dose de vacinação contra a Covid-19 de quilombolas. Os quilombolas são considerados grupos prioritários pelo Ministério da Saúde, e no Plano Estadual de Imunização, no Pará. A vacinação acontece no Memorial dos Povos, sede da Fundação Cultural do Município de (Fumbel).

Povos quilombolas que já receberam a primeira dose do imunizante devem comparecer ao Memorial dos Povos, das 09h às 17h, com uma carteira de identificação com foto e o cartão SUS.

Desde o início da imunização contra a doença no Pará, 162.541 quilombolas receberam vacinação contra aCOvid-19. Delas, 60.133 (37%) foram imunizadas com a primeira dose e 29.128 (17.92%) com a segunda dose, segundo dados do Vacinômetro do Governo do Estado.

Em Belém, 952.258 pessoas tomaram a primeira dose e 516.965 com a segunda dose, de acordo com dados da Belém Vacinada.

Quilombolas no Pará

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Pará ocupa a 4ª posição no ranking de número de quilombolas no Brasil. Segundo os dados, o estado possui 516 localidades quilombolas, ficando atrás somente da Bahia, com 1.046 localidades; de Minas Gerais, 1.021, e do estado do Maranhão, com 866.

Os quilombolas são grupos com identidade cultural própria e se formaram por meio de um processo histórico que começou nos tempos da escravidão no Brasil

A Coordenação Estadual Quilombola do Pará, que é denominada de Malungo, trabalha com mais de 500 comunidades quilombolas. As comunidades contam com cerca de 250 mil pessoas distribuídas em 50 mil famílias. Estas, em sua maioria, são formadas por crianças e jovens.

Veja outras notícias do estado no G1 Pará

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE