Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Setembro deve ser de menos chuva no Pará, prevê meteorologia da Semas

Volume de chuva deve reduzis na Região Metropolitana e no baixo Amazonas. Mas deve aumentar no sudeste e sudoeste.

 
 -   /
/ /

As chuvas devem diminuir no Pará este mês. De acordo com o boletim de previsão do tempo para setembro, divulgado nesta terça-feira (14) pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), haverá redução no volume de chuvas no Baixo Amazonas, na faixa central do estado e em algumas áreas do nordeste do estado. Também são esperadas chuvas mais frequentes, porém em menor volume, na Região Metropolitana de Belém (RMB). No entanto, o sudeste e sudoeste do estado devem ficar mais chuvosos.

O boletim informa que na faixa Sul do Pará são esperados acumulados máximos de chuva em torno de 100mm a 150mm no mês. Praticamente toda a região apresenta volumes superiores a 75mm, com maior probabilidade na ocorrência de chuvas abaixo da média climatológica.

“O estado do Pará, pelas suas condições continentais, apresenta diversos regimes de chuva. Setembro, para o Sul do Pará, já representa o início do período chuvoso. Nessa região é comum a ocorrência de chuvas com maiores acumulados diários, porque as condições climáticas de setembro são favoráveis para ocorrência desses fenômenos. É comum também que aconteçam chuvas acompanhadas de raios e trovoadas”, comenta Antônio Sousa, meteorologista da Semas.

A região Norte do estado atravessa o período seco e há irregularidade na distribuição das chuvas, com totais máximos próximos a 150mm e mínimos em torno de 50mm mensal, com áreas isoladas tendo probabilidade de volumes superiores a 150mm no mês. É o caso da RMB, que apesar de as chuvas continuarem quase diariamente, também terá chuvas em volumes menores que os apresentados no mês anterior.

Segundo o boletim climático, os menores acumulados no mês de setembro ficam na porção Central do estado, que apresenta volumes mínimos de 50mm e máxima de 75mm no mensal. Essa região, assim como o Baixo Amazonas e alguns municípios das regiões do Marajó e Nordeste paraense, devem ficar dentro da categoria de chuvas consideradas normais para o período, com volumes mensais que variam de 25mm a 100mm, já que atravessam o período seco ou menos chuvoso.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE