Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Jovem de 24 anos é o quinto caso suspeito da Síndrome de Haff notificado em Santarém

Mulher foi atendida no hospital municipal e não precisou ficar internada. Amostras de sangue e urina foram colhidas e encaminhadas para análise.

 

Mais um caso suspeito da Síndrome de Haff, popularmente conhecida como doença da "urina preta" foi notificado em Santarém, no oeste do Pará. Trata-se de uma jovem de 24 anos que passou mal em casa, foi atendida no hospital municipal, mas por apresentar sintomas leves não precisou ficar internada.

A paciente chegou à unidade hospitalar por volta das 8h de domingo (19) apresentando dores nas articulações. A jovem teria consumido um peixe da espécie pacu, pescado no Lago do Mapiri, na noite de sábado (18).

Amostras de sangue e urina foram colhidas e encaminhadas para análise. Após os atendimentos necessários, a jovem, recebeu alta médica na segunda (20).

"Tivemos mais um caso suspeito da doença. A equipe de vigilância epidemiológica já está investigando esta situação a fundo. A paciente foi hidratada, cuidada com medicação e recebeu alta. As amostras coletadas devem ser entregues ao laboratório, e vamos aguardar o resultado", disse o chefe do Núcleo Técnico de Vigilância em Saúde, Marcelino Xavier.

Em Santarém, está em vigor um decreto municipal que proíbe a comercialização e consumo de três espécies de peixe (pirapitinga, pacu e tambaqui) vindas do estado do Amazonas.

Além desse documento, a equipe da Vigilância tem realizado ações de orientação junto a classe que comercializa o pescado, com o objetivo de esclarecer pontos como o acondicionamento, a manipulação correta do produto.

Nota da Sespa

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) informou, por meio do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), que foi notificada e está investigando, no momento, dez casos suspeitos da Síndrome de Haff, sendo três casos em Belém, cinco em Santarém, um em Trairão e um em Almeirim.

Os exames sanguíneos e de urina dos casos suspeitos foram encaminhados, por meio do Laboratório Central do Estado do Pará (Lacen), para laboratório de referência e não há ainda previsão de resultado.

VÍDEOS: mais vistos do G1 Santarém e região

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE