Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

União Europeia quer impor padrão para conector de carregadores nos celulares, incluindo iPhones

Regulamento propõe adoção da entrada USB-C nos smartphones, tablets e outros produtos eletrônicos. Medida irrita Apple, que usa tecnologia Lightning, mas ainda será discutida pelo bloco.

 

A União Europeia anunciou nesta quinta-feira (23) planos para exigir que as fabricantes adotem um padrão para os conectores dos celulares, tablets, videogames e outros produtos eletrônicos.

O bloco propôs que todos os aparelhos venham com entrada USB-C, presente na maioria dos telefones Android lançados nos últimos anos. A ideia enfrenta resistência da Apple, que utiliza a tecnologia Lightning nos iPhones.

Outro tipo de conector que aparece em muitos dispositivos é o micro-USB, frequente em produtos mais baratos ou antigos.

A proposta também inclui a obrigação de padrões universais de carregamento rápido e informativos claros sobre compatibilidade.

LEIA MAIS:

  • iPhone 13 Pro Max de 1 TB é o celular mais caro do Brasil, por R$ 15.499
  • MEU CELULAR, MINHA VIDA: como o smartphone revolucionou o mundo em 15 anos

A Apple argumenta que sua tecnologia Lightning equipa mais de um bilhão de aparelhos em todo o planeta e manifestou sua oposição ao projeto.

"Essa regulamentação vai prejudicar a inovação em vez de encorajá-la e prejudicará os consumidores na Europa e no mundo" declarou a marca, segundo a agência AFP.

A padronização dos conectores começou a ser discutida pela Comissão Europeia, braço executivo do bloco, em 2009. Para começar a valer, será preciso que deputados e estados-membros da União Europeia aprovem o projeto.

Caso a medida avance, as empresas terão 24 meses para se adequarem e é possível que seus impactos sejam globais.

A Comissão aponta que os consumidores europeus gastam cerca de € 2,4 bilhões (R$ 14,9 bilhões, na cotação atual) por ano para comprar carregadores e que poderiam economizar pelo menos € 250 milhões (R$ 1,5 bilhão) por ano.

Outro ponto levantado pelas autoridades é o lixo eletrônico gerado por esses objetos, avaliado em 11 mil toneladas por ano, que poderia ser reduzido em quase mil toneladas.

"Essa á uma vitória para os consumidores e para o meio-ambiente. Os europeus estão cansados de carregadores incompatíveis entupindo suas gavetas", escreveu Margrethe Vestager, comissária europeia para a concorrência, em um comunicado.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE