Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Exigências fazem taxas de vacinação subirem e casos e mortes por Covid caírem nos EUA

Desde que presidente anunciou exigência para funcionários de alguns setores públicos e convocou empresas privadas a fazer o mesmo, número de americanos elegíveis que não foram vacinados diminuiu em cerca de um terço, de 97 milhões para 66 milhões de

 

As taxas de vacinação contra Covid-19 nos Estados Unidos aumentaram em mais de 20 pontos percentuais depois que várias instituições adotaram as exigências de vacinas, enquanto o número de casos e mortes pelo vírus caíram, disseram funcionários do governo Biden nesta quarta-feira (13).

O coordenador de resposta para Covid-19 da Casa Branca, Jeff Zients, disse a repórteres que 77% dos americanos elegíveis haviam recebido pelo menos uma injeção de vacina.

As taxas de vacinação aumentaram graças a mandatos colocados em prática por empresas privadas, sistemas de saúde, instituições sociais e governos estaduais e locais, disse ele em um comunicado.

A equipe do presidente Joe Biden tem lutado para vencer a pandemia do coronavírus porque uma grande parte da população dos EUA continua a resistir a tomar vacinas seguras e amplamente disponíveis.

Biden anunciou no mês passado políticas exigindo que a maioria dos trabalhadores de saúde e funcionários federais recebam vacinas contra Covid-19 e forcem os grandes empregadores a vacinar ou testar seus trabalhadores semanalmente, mas as regras federais para colocar a ordem em vigor ainda estão sendo formalizadas.

Alguns estados e grandes empregadores já determinaram a obrigatoriedade das vacinas.

“Desde o final de julho, quando o presidente anunciou os requisitos de vacinação e convocou as organizações a seguirem seu exemplo, o número de americanos elegíveis que não foram vacinados diminuiu em cerca de um terço, de 97 milhões para 66 milhões de indivíduos”, disse Zients.

A diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, Dra. Rochelle Walensky, disse que a média de sete dias de casos diários de Covid-19 caiu 12% em relação à semana anterior e a média de sete dias de mortes diárias caiu 5%.

Mas as autoridades alertaram que, mesmo com a improbabilidade de uma nova variante ultrapassando a altamente contagiosa Delta, que causou estragos em todo o mundo, não era hora de baixar a guarda do país.

“Apesar da redução recente nos casos, a maioria das comunidades em todo o país ainda está experimentando níveis substanciais a altos de transmissão local”, disse Walensky.

EUA vão exigir que funcionários públicos tomem vacina ou façam testes semanais

window.PLAYER_AB_ENV = "prod"

“Precisamos absolutamente continuar com o foco em manter a Covid sob controle em todo o país, especialmente à medida que entramos na temporada de outono e inverno”, por meio de máscaras e vacinas, disse ela.

Mais de 700 mil pessoas morreram nos Estados Unidos de Covid-19, e obter o controle da pandemia continua sendo uma prioridade do presidente por razões de saúde, econômicas e políticas.

Na semana passada, Biden convocou mais empresas para obrigar seus trabalhadores a serem vacinados.

Casa Branca vê cada vez mais tais mandatos como críticos para acabar com a pandemia, mas os esforços têm enfrentado resistência em alguns estados liderados por governadores republicanos, especialmente Flórida e Texas, que argumentam que tais requisitos são uma violação das liberdades pessoais.

Vídeos: Os mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE