Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Oposição no Chile pede impeachment de Sebastián Piñera por caso revelado pelos Pandora Papers

Durante seu primeiro mandato, Piñera vendeu uma mina que pertencia a família dele. Há eleições no Chile em novembro.

 

Os deputados de oposição do Chile começaram, nesta quarta-feira (13), os procedimentos para abrir um processo de impeachment do presidente Sebastián Piñera.

Ele é acusado de ter cometido possíveis irregularidades ao vender uma empresa de mineração. Detalhes sobre essa operação foram revelados pelos Pandora Papers.

Neste mês, a Procuradoria do Chile afirmou que iria abrir uma investigação sobre a possibilidade de ter havido pagamento de propinas e violações de regras de impostos na venda.

Os Pandora Papers são um conjunto de documentos que foram revelados pelo Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo. O material revela transações feitas em países que são considerados paraísos fiscais e onde há sigilo bancário.

Mina de Dominga

Entre os documentos, há um que, aparentemente, descreve a venda da mina de Dominga, na qual há extração de cobre e minério de ferro.

A venda aconteceu em 2010, quando Piñera estava em seu primeiro mandato como presidente. Antes de ser político, ele era um empresário bilionário. A empresa é ligada à família dele.

O vazamento causou controvérsia no Chile porque sugere que o negócio dependia da aprovação de um ambiente regulatório favorável.

Presidente do Chile, Sebastián Piñera promulga reforma constitucional

window.PLAYER_AB_ENV = "prod"

A Justiça já tinha examinado os termos da venda da mina em 2017 e não encontrou nada errado.

Jaime Naranjo, um deputado de oposição, é um dos que estão organizando o processo de impeachment. Segundo ele, Piñera infringiu a Constituição.

Piñera negou que tenha cometido irregularidades. Ele argumentou que todos os detalhes do contrato constavam do processo já analisado pela Justiça, e que não foram constatadas irregularidades.

Há eleições presidenciais e legislativas em novembro. Pinera não é candidato nessas eleições.

O processo de impeachment precisaria de 78 votos na Câmara dos Deputados para avançar.

Veja os vídeos mais assistidos do g1

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE