Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Magdalena Andersson se torna a 1ª mulher a ser eleita premiê da Suécia

Social-democrata é a atual Ministra das Finanças do país e teve 117 votos a favor e 174 contrários 57 deputados se abstiveram . Ela já sofreu sua 1ª derrota no 1º dia no cargo. Ela renunciou horas depois.

 

A social-democrata Magdalena Andersson foi eleita nesta quarta-feira (24) primeira-ministra da Suécia pelo Parlamento e será a primeira mulher a ocupar o cargo de chefe de governo do país nórdico.

Andersson não durou nem um dia no cargo: ela renunciou horas após ser eleita.

Andersson era ministra das Finanças do governo do primeiro-ministro, Stefan Löfven, que renunciou no dia 10, após sete anos no cargo, enfraquecido por uma crise política.

VEJA TAMBÉM:

  • 'Coalizão semáforo' chega a acordo na Alemanha para Olaf Scholz substituir Merkel
  • Austrália vai extraditar ex-secretária do chefe da polícia secreta de Pinochet

Ela tem 54 anos, é economista e ex-nadadora e conseguiu na noite de terça-feira (23), no fim do prazo, um acordo com o Partido de Esquerda para se eleger (o último apoio que faltava).

Assim, após vários dias de negociações, a nova premiê foi eleita com 117 votos a favor e 174 contrários (57 deputados se abstiveram).

Um candidato a premiê não precisa do apoio da maioria no Parlamento para ser eleito na Suécia. Mas é necessário que a maioria não vote contra seu nome (175 votos, um a mais do que Andersson teve).

Primeira derrota

Falta menos de um ano para as eleições legislativas, que estão marcadas para setembro de 2022 e devem ser acirradas.

Andersson sofreu sua primeira derrota no cargo logo no primeiro dia de governo: o Partido de Centro não apoiou o orçamento do governo, devido ao acordo anunciado na véspera com o Partido de Esquerda.

VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE