Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

I Feira da Cadeia Produtiva do Açaí de Igarapé-Miri é realizada no Teatro Gasômetro

Programação gratuita traz artesãos locais, chefs de cozinha e promoverá workshops, oficinas, shows de artistas regionais e exibições de cinema.

 

Protagonista da cultura alimentar do Pará, o açaí e os aspectos culturais, ambientais e econômicos do fruto são tema da I Feira da Cadeia Produtiva do Açaí de Igarapé -Miri, que será realizada neste domingo (28), em Belém.

No momento em que o mundo debate a importância de priorizar atividades econômicas que sejam ambiental e socialmente responsáveis na Amazônia, o açaí aponta para o futuro.

Um dos carros-chefes de exportação do estado, o fruto vai além: dele deriva a matéria-prima que dá forma a produtos sustentáveis para a construção civil e ainda para a produção de energia, por meio da biomassa.

Essa versátil atividade é mantida, sobretudo, pelas mãos da agricultura familiar, organizada por meio de cooperativas. Todos esses aspectos culturais, ambientais e econômicos são tema da I Feira da Cadeia Produtiva do Açaí de Igarapé -Miri, que será realizada neste domingo (28), em Belém.

A programação começa às 9h e segue até 13h, no Teatro da Estação Gasômetro, com entrada franca. O público poderá conferir as palestras “Biomassa e Energia”, com Romeu Furlan da RM Biomassa LTDA; “Açaí na construção civil”, com Francielly Barbosa, do Clube de Ciências do Moju; e “Produção de Biopainéis”, com Washington Nascimento, da startup Unaí.

Um dos maiores nomes da gastronomia amazônica, o chef Ophir Oliveira, à frente do projeto Sabor Selvagem, conduz o bate-papo "Açaí de várzea, açaí do futuro". Voltada para crianças, será realizada a oficina “Brincar com açaí”.

Haverá também a exibição do documentário “Lendas e causos do Rio Meruú”, e bate-papo com o cineasta Eduardo Souza, da Mekaron Filmes. A programação também traz música, com shows do Carimbó de Igarapé-Miri e Grupo Manipará.

A Feira é um evento contemplado no Edital Multilinguagens - Cultura Alimentar da Lei Aldir Blanc, promovido pela Secretaria de Cultura do Pará (Secult-PA) e Governo Federal.

César Marinho fala sobre o papel da agricultura familiar na cadeia produtiva do açaí

window.PLAYER_AB_ENV = "prod"

Açaí: cultura e negócio

A imersão no universo do açaí será conduzida pela comunidade da floresta, da região do Meruú, de Igarapé-Miri, que sozinha é responsável por uma safra que movimenta cerca de R$ 100 milhões ao ano.

O município é o maior produtor do fruto no Pará, estado que é líder da atividade no país, responsável por 94% do que é produzido em território brasileiro.

Organizadora do evento, a Cooperativa Agropecuária dos Produtores Rurais de Meruú (COOAPRIME) cobre uma área onde estão situadas mais de 6 mil famílias. A entidade atua para chamar atenção da sociedade para a produção e beneficiamento do seu ativo florestal, o açaí, além de melhorar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região do Meruú, através da geração de renda e valorização da cultura local.

“O objetivo da Feira é mostrar a trajetória do açaí, desde a cultura alimentar até o fruto como um grande negócio, além da questão folclórica, cultural das lendas amazônicas. Esse aspecto é fundamental porque, quando você evidencia esses costumes que estão sendo esquecidos, você reforça a identidade da comunidade florestal. A feira faz todo esse diálogo”, conta o presidente da Federação das Cooperativas da Agricultura Familiar do Estado do Pará (Fecaf), César Marinho.

Sob a lógica da economia verde, que busca reduzir os impactos ambientais, o açaí fornece material para a produção de modulados usados na construção civil, e também é fonte de energia renovável, evidenciando sua potência industrial.

“A feira traz toda uma leitura do universo do açaí e a comunidade do Meruú pode ir buscar parceiros, se capitalizar e fortalecer sua produção, para que seja possível de competir de igual para igual com as grandes indústrias do setor, de forma que esses recursos econômicos venham beneficiar e melhorar a vida das pessoas da região ”, destaca Marinho.

Programação

9h: abertura;
9h10: série de palestras "A cadeia produtiva do açaí";
9h40: show: grupo folclórico Manipará;
9h50: oficina: brincar com açaí;
10h50: exibição do documentário “Lendas e causos do Rio Meruú”, e bate-papo com o cineasta Eduardo Souza, da Mekaron Filmes;
11h50: workshop com chef Ophir Oliveira;
12h20: encerramento;
1h30: show - carimbó de Igarapé-Miri.

Serviço

I Feira da Cadeia Produtiva do Açaí de Igarapé-Miri, que será realizada neste domingo (28), em Belém. A programação começa às 9h e segue até 13h, no Teatro da Estação Gasômetro. Entrada franca.

VÍDEOS com as principais notícias do Pará

200 vídeos

Veja outras notícias do estado no g1 Pará.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE